10 ago 2011
transjordania

Do norte ao sul, a Transjordânia divide-se em cinco partes. A mais setentrional dessas zonas, limitada a oeste pela cadeia do monte Hermon, é um vasto planalto que se estende do Jarmuk as imediações de Damasco, situada a nordeste. Imediatamente a norte do Jarmuk encontra-se uma região muito fértil, que o Antigo Testamento denomina a terra de Basan ou, mais simplesmente, Basan, ou seja, a “terra lisa”, portanto rica e sem pedras. Para além desta conotação geográfica, o termo “bashân” evoca boa alimentação, abundancia e força. Quando faz alusão aos inimigos que o assaltam de todos os lados, o salmista  [ Read More ]

Continue
1 ago 2011
geografia de israel nos tempos biblicos

O melhor meio para se representar o país da Bíblia é imaginar seis faixas justapostas orientadas de norte a sul. A primeira dessas faixas é constituída pela planície costeira. Esta começa 20 quilômetros a norte de Aco, onde a sua largura não ultrapassa 5 quilômetros, para atingir gradualmente 13 quilômetros por alturas da baía de Haifa. Aí é cortada pelo monte Carmelo, a sul do qual é retomada, com uma largura de 4 quilômetros, num comprimento de 30 quilômetros. A sul do Naal Tanimim, a planície costeira alarga-se de novo para atingir 20 quilômetros na intersecção do vale do Aialon,  [ Read More ]

Continue
29 jul 2011
Rio Jordão e Mar-morto

Geografia física O Jordão retoma o seu curso ligeiramente a oeste da extremidade sul do mar da Galiléia, onde, ao longo dos séculos, a sua zona de saída se deslocou um tanto para norte. Numa distancia de 105 quilômetros em linha reta, o seu leito acompanha o fundo da linha de fratura siro-africana, antes de se perder no Mar Morto. De fato, a extensão real desta seção do rio é de 322 quilômetros, se tiverem em conta os múltiplos meandros que ele desenha no seu vale, cuja largura é de 5 quilômetros a 22 quilômetros. Tendo em conta as variações  [ Read More ]

Continue
28 jul 2011
monte do carmelo

Geografia física Aos olhos do turista moderno, a zona compreendida entre o Carmelo e Rosh Hanicra apresenta-se como uma zona marcada pela implantação de fábricas, com uma estação balneária e culturas intensivas de frutos. Imediatamente a norte do Carmelo encontra-se o complexo industrial de Haifa, com a sua refinaria de petróleo. A estrada principal que liga Haifa a Aco está assinalada, na sua primeira metade, por pequenas empresas que se estendem até o mar. Em seguida, está rodeada de uma série de tanques dedicados à piscicultura intensiva. A meio caminho atravessa-se Naaria. Esta localidade, que em 1934 era apenas uma  [ Read More ]

Continue
26 jul 2011
Galiléia

Geografia física O nome “Galiléia” vem do hebraico galil, que designa um “ circuito” ou um “descrito”. Em Josué 20, 7 e 21, 32, a cidade de Quedes é situada na Galiléia. Em 1 Reis 9, 11, Salomão cede o rei Hiram vinte localidades mencionada, ao mesmo tempo que cidades do Norte (Abel-Bet-Maacã, Janoa, Quedes e Hasor),  como constituindo “toda a terra de Neftali” , que foi conquistada por volta de 734 a.C., pelo assírio Tiglate-Pileser. É em Isaias 8, 23 que encontramos esta célebre expressão: “a Galiléia das nações” (há-galil há-goyim). Dividem-se as opiniões no que se refere à  [ Read More ]

Continue
25 jul 2011
Betel, Samaria, Carmelo e Jezrael

Geografia física. Estas diferentes regiões estão longe de constituir uma unidade geográfica. A montanha de Betel é o prolongamento da de Hebron. O vale de Jezrael liga-se a Galiléia. Quanto ao Carmelo, não é mais do que o esporão ocidental dos montes de Guilboa. Contudo, como estas regiões viriam a tornar-se a base territorial do reino do Norte, após o cisma que se seguiu à morte de Salomão, pareceu-nos mais lógico agrupá-las sob o mesmo titulo. Tal como já observamos a propósito da Galiléia. Israel nem sempre controlou o território situado a norte do vale de Jezrael. Em contrapartida, até  [ Read More ]

Continue
30 jun 2011

A época bizantina foi um período de paz relativa, uma época marcada pela consolidação da população e das instituições cristãs na Terra Santa. O responsável por essa mudança foi o imperador Constantino. Ele e sua mãe, Helena, se dedicaram especialmente à construção de Igrejas para celebrar os lugares santos da cristandade. Em 326 Helena peregrinou à Terra Santa: em Jerusalém encontrou os restos da Santa Cruz e em Belém localizou a gruta onde havia nascido Jesus. A Igreja do Santo Sepulcro foi consagrada em 335. A Terra Santa se transformou em lugar de peregrinação para os cristãos, e estes ajudaram  [ Read More ]

Continue